Qual o seu álbum preferido do AC/DC?
High Voltage (Austrália)
T.N.T. (Austrália)
High Voltage (Internacional)
Dirty Deeds Done Dirt Cheap
Let There Be Rock
Powerage
Highway to Hell
Back in Black
For Those About to Rock We Salute You
Flick of the Switch
Fly on the Wall
Blow Up Your Video
The Razors Edge
Ballbreaker
Stiff Upper Lip
Black Ice
Rock or Bust
22 de Fevereiro 2020
+A -A
24/01/2018
07:40 Em Ruínas segue com a cartilha speed metal em seu segundo álbum

Em Ruínas - No Speed Limit (Metal Tornado)

O segundo álbum do Em Ruínas foi lançado oficialmente no dia 28 de dezembro de 2017. A escolha da data não foi por acaso. A estreia da banda paulistana de speed metal nos palcos foi nesse mesmo dia, 15 anos atrás. Sendo assim, Igor Lopes (vocal, guitarra e baixo), sempre à frente das ações, fez de "No Speed Limit (Metal Tornado)" uma verdadeira celebração ao estilo, tendo a parceria do talentoso multi-instrumentista Rene Simionato (bateria, baixo e guitarra), atualmente integrante do Torture Squad.
 
Com uma variação de letras em português e em inglês, "No Speed Limit (Metal Tornado)" segue a cartilha do speed metal e vem recheado de palhetadas, velocidade, dois bumbos e até inusitados blast beats. "O álbum abre com a introdução 'Cyriis', que nada mais é do que a arte da capa do álbum sendo musicada de uma forma representativa e sonora, dando uma prévia do que está por vir", revela Igor Lopes.
 
Além disso, o álbum traz uma releitura de "Mate o Réu", clássico do Stress, banda pioneira do metal brasileiro. "Fizemos a versão original de 1977, que era em inglês e nunca foi gravada pela banda. Porém, o melhor de tudo foi que 'Go to Hell' contou com participação mais do que especial do próprio Stress na gravação", exalta Lopes.
 
Pintada em óleo sobre tela, a capa de "No Speed Limit (Metal Tornado)" foi criada por Toni "Metal" Correria, enquanto o layout do CD e as ilustrações internas ficaram a cargo do artista Thiago Boller (fugdesign.com). "A capa foi feita ao velho estilo em óleo sobre tela, nos remetendo aos tempos áureos onde a fantasia e o bom gosto eram elementos essenciais dentro do universo do heavy metal. A estética de artistas como Frank Frazetta, Boris Vallejo, Ken Kelly e Derek Riggs ilustravam todo este mundo surreal e fantasioso do estilo", explica Lopes. "Ela foi feita pelo artista Toni "Metal" Correria, que tem esta essência no DNA, pois viveu realmente a época na prática e com intensidade", acrescenta.
 
Com produção a cargo do próprio Igor Lopes, o álbum foi gravado no Uistudio (uistudio.com.br) por Fábio Fábris. "A mixagem ficou por conta do experiente Henrique Baboom, enquanto masterização é de Leon Manssur, do Apokalyptic Raids. Tudo foi feito da forma mais orgânica e verdadeira possível, como manda a arte verdadeira e o metal raiz", observa Lopes.
 
O material, que vem em formato digipack de luxo, com hot stamp na arte e adesivo interno de brinde, foi lançado em parceria pelos tradicionais selos Mutilation Records e Urubuz Records.
 
Veja o lyric video de "Hereditary Force (Cursed be our Name)", criado por Wanderley Perna (facebook.com/wdesignerbr), do Genocídio, em https://youtu.be/x8dPuj3HMYU

Sites relacionados:
Facebook: www.facebook.com/emruinasbrazil
Bandcamp: emruinas.bandcamp.com
Canal de Youtube: www.youtube.com/emruinas
 
Contato: emruinas@hotmail.com

Disponível através dos selos e distribuidores:
www.mutilationrecords.com.br
www.urubuzrecords.com.br

Igor Lopes (Em Ruínas) / Foto: Rogerio Seiji Kubometal

Roadie Crew copyrights © 2011 - All Rights Reserved - Todos os Direitos Reservados - Melhor visualizado em 1024x768